fbpx

5 minutos de leitura

Um roadmap de produto trata-se de um plano de ação que descreve a direção, a visão, prioridades e progresso de um projeto ou produto ao longo do tempo. Um plano, portanto, que alinha a empresa em torno de metas e de como elas vão ser atingidas. O roadmap de produto vai deixar todos os envolvidos a par do processo de evolução, conhecendo as variáveis que envolvem o caminho.

É importante que você veja seu Roadmap como uma ferramenta de comunicação, não como um contrato. Ou seja, as features que você mapear no seu Roadmap não devem necessariamente ser construídas apenas por estarem lá. Afinal, quem disse que são essas features que seu usuário e negócio precisam. O Roadmap existe para que você comunique ao seu time e aos seus stakeholders qual a estratégia de produto para alcançar metas bem estabelecidas.

Há diversos benefícios dessa técnica, entre eles o planejamento e alinhamento com as estratégias da empresa, a visão do produto sendo colocada em foco e a estratégia do produto sendo comunicada em toda a organização.

Agora que você já sabe o que é um roadmap, é importante conhecer os passos principais para a criação dele. Continue acompanhando e confira! Boa leitura!

1. Definir os objetivos estratégicos da empresa

Os objetivos da empresa são o primeiro passo que um gestor deve conhecer para fazer o roadmap. O propósito principal de uma organização não é margem ou receita, eles são indicadores da saúde do negócio, os quais até podem mostrar se os propósitos da empresa estão sendo conquistados.

No entanto, eles não estão necessariamente ligados aos objetivos. Esses tendem a mudar com o passar do tempo. Por exemplo, o objetivo não é receita em qualquer início de rede social, mas sim conquistar o maior número de usuários e assegurar que eles retornem. Apenas depois de obter uma boa base de usuários é que é interessante pensar em como conquistar receita. Por esse motivo, é fundamental que o gestor saiba qual é o objetivo da organização e, periodicamente, valide se esse propósito permanece o mesmo.

Uma organização pode ter como objetivo ganhar notoriedade ou conquistar mercados novos, por exemplo. Ambos os pontos estão ligados ao lucro, mas apresenta caminhos variados. O roadmap, dependendo do objetivo, terá características diferentes.

2. Não deixe de criar uma visão do produto

Baseando-se nos objetivos do negócio e nos desejos do usuário, é importante criar uma visão futura do produto, ou seja, tudo o que ele precisa ser e fazer para que atenda as necessidades dos clientes quanto estiver pronto. Lembre-se de que o tempo pode ser realmente longo, afinal, tirar uma ideia do papel exige investimento e tempo, de equipe e também financeiro, por isso é imprescindível que se faça pesquisas de mercado para compreender as tendências de consumo e caminhar para a direção exata.

A visão de produto é um statement que descreve o futuro que queremos criar com nossos produtos. Para produtos digitais, tentamos estabelecer uma visão de 2 a 3 anos pra frente. É importante que você entende que a visão de produto é diferente da missão da empresa. A Missão, mesmo que útil, falha em tangibilizar como alcançaremos esse futuro. É ai que a visão de produto entra.

O objetivo central de uma boa visão de produto é comunicar e inspirar o time e os stakeholders quanto ao porquê estamos construindo esse produto.

Quando feito da maneira correta, a visão de produto pode ser usada não apenas para comunicar a visão, mas também como ferramenta de recrutamento.

3. Descubra quais são os problemas que os seus clientes desejam solucionar

Um produto digital nada mais é do que uma forma de solucionar um problema atendendo às necessidades reais dos clientes do seu negócio. Sendo assim, fazer pesquisas e estudar os dados históricos de relacionamento com os clientes são as maneiras mais eficazes de definir isso.

É extremamente necessario que exista uma validação do seu roadmap com seus usuários. O que eu irei construir faz sentido? É uma necessidade real? Existe demanda? Fazendo isso, você irá economizar muito tempo e dinheiro não construindo um produto que ninguém quer.

4. Busque validar a ideia inicial

Essa é uma etapa indispensável. Você já tem uma visão futuro do seu produto. Certo, mas os clientes estão concordando com ela? É preciso validar suas hipóteses iniciais para só em seguida despender os recursos necessários, pois pode ser que você invista em algo que não interesse nenhum cliente. Um bom caminho é fazer um protótipo ou um MVP e testar com seus usuários.

5. Defina os recursos e o tempo necessário

Antes de continuar, não se esqueça de que o conceito de roadmap foi criado para alcançar os objetivos do negócio e receber o feedback dos clientes, com um custo baixo. Ao reunir os profissionais para estimar os custos e o tempo do projeto, pode ocorrer que se conclua que ele não é viável. Em casos como esse, o escopo deve ser alterado e a priorização refeita.

6. Crie e priorize a lista de funcionalidades

O público valoriza o conceito do produto e ele é viável? Ótimo! Uma boa dica é criar uma lista de tudo aquilo que o público pode desejar no produto, assegurando que todas as funcionalidades principais estejam presentes, fazendo com que o produto seja a melhor opção para solucionar os problemas dos usuários. Depois, o mais indicado é definir as prioridades de implementação de acordo com a urgência ou dor que o usuário tiver com aquela funcionalidade.

Procure definir as funcionalidades quanto ao valor que elas vão trazer para o usuário e a empresa. Elas serão desenvolvidas passo a passo no roadmap, gerando funcionalidades enriquecidas que vão ser testadas assim que estiverem prontas. É fundamental revisar constantemente o roadmap de acordo com o feedback dos clientes e alterações. É preciso testar as novas funcionalidades do produto sempre que forem acrescentadas a ele. Uma boa ideia é fazer uso do Design Thinking nas etapas do roadmap.

Você pode também gostar