fbpx

Introdução

A primeira semana do Product Camp foi incrível e cheia de conteúdos sensacionais sobre Produto. Vem conferir as talks do último dia da primeira bateria de palestras!

Product operations: o que é e como começar?

3 minutos de leitura

Marcela Schlaepfer, Product Operations na VTEX, começou sua palestra comentando sobre o que é Operações de Produto, que muitas pessoas ainda não conhecem. 

Product Operations é o time que vai garantir que os times estejam alinhados, com visibilidade de dados e com fluidez nos processos. É uma intersecção de Produto, Engenharia e Customer Success. 

De acordo com a Marcela, o tempo de líderes de Produto, no mundo ideal, é que 80% seja direcionado para visão, estratégia de Produto e comunicação, e 20% dedicados a processos e ferramentas. Mas é comum ver que os líderes de Produto invertem essa equação no dia a dia. 

Os 3 pilares de Product Operations

1) Voz do cliente: 

O papel do time de Produto no pilar de voz do cliente é coletar e dar acesso a dados qualitativos sobre clientes e usuários finais. 

2) Dados de Produto: 

Dados quantitativos que sejam acionáveis, sejam financeiros, operacionais ou da jornada do cliente. A dica da Marcela é que aconteça a escolha da ferramenta de product intelligence, implementação beta (dois squads, por exemplo) e implementação completa.  

3) Ferramentas e processo:
É a máquina de Produto alimentada pelos pilares anteriores, que permite escalar o onboarding de novos Product Managers e desenvolvimento, coordenar rituais de Produto e templates, implantar e gerenciar as ferramentas de Produto, que ajudam a equipe a ser mais eficiência, e criar e padronizar os processos. 

Influência de Product Operations em rituais e processos

A área de Product Operations tem muita influência em diversas áreas. Essa versatilidade permite que a equipe possa mitigar ineficiências e aplicar boas práticas de um squad para o outro. 

Marcela comenta que nos rituais anuais, Product Ops dá suporte na revisão da estratégia; nos trimestrais, na review do roadmap, criação de templates e rituais com fornecedores; nos mensais, nos rituaus de Produto e Growth; e nos quinzenais, compartilhando as melhores práticas ágeis entre squads.

Key takeaways

Marcela reforçou em sua talk alguns aprendizados importantes:  

  • Toda empresa já faz Product Operations (Pops). Observe a balança de tempo em estratégia vs. processos para decidir dedicar alguém exclusivo.
  • Faça escalável. Á área não deve ter 1000 pessoas. Crie algo onde você seja desnecessário depois. 
  • Envolva os Product Managers interessados em cada iniciativa. Quem vive o dia a dia são eles, você conecta os pontos. 
  • Enxergue além: Pops como um berço de ótimos produteiros. 

Níveis de Maturidade em Prod Ops

2 minutos de leitura

A segunda palestra do Product Camp com o Thiago Belluf, Head of Product na Favo, abordou os níveis de maturidade em Product Operations. 

De acordo com o palestrante, a área de Operações de Produtos é uma área de facilitação, que permeia outra áreas. E qual é o momento de surgir essa área em uma empresa?

Para Thiago, depende de alguns fatores: o tamanho da empresa, budget e intensidade dos problemas que a empresa está vivenciando. 

ProdOps na sua empresa

O objetivo do Thiago Bellut nessa talk do Product Camp foi ajudar os participantes a iniciarem a conversa sobre a necessidade da criação da área de Operações de Produto, através do Modelo de Maturidade.

Para construir o Modelo de Maturidade, é preciso definir os pilares que vão tangibilizar a iniciativa existente e o que é esperado da área. 

Natureza da área de Product Operations

Facilitação é a alma dessa área. Thiago trouxe 6 exemplos de pilares da área:

  • User Centricity

Garantir práticas de tomada de decisão baseadas em evidências concretas de necessidades dos usuários.

  • Strategy Deployment

Estabelecer processos para que a estratégia da empresa se descobre em uma estratégia de produto robusta e coerente com a visão.

  • Communication & Alignment

Facilitar fluxos de comunicação e alinhamento entre a estrutura de Produto e a estrutura externa a ela, estabelecendo colaboração real.

  • Product Development Processes

Instrumentar os processos de desenvolvimento de Produto, aumentando a eficiência do processo.

  • Program Management

Centralizar e facilitar quando necessário a execução de iniciativas que permeiam diversas áreas e que se beneficiam de alto nível de sincronização.

  • People Development 

Amadurecer juntamente com as lideranças os processos de contratação e desenvolvimento de pessoas. 

Por onde começar em Product Ops? A dica do Thiago é que depende do objetivo da empresa e aonde o time pretende chegar. Com base nisso, trace sua estratégia, principais primeiros passos e acompanhe indicadores para medir a evolução da iniciativa.

Plataformização do Cartão de Crédito do Nubank

2 minutos de leitura

Lina, Head de Produto da Nubank, começou a talk contando sobre os seis produtos existentes hoje na Nubank e como foram feitas as decisões iniciais. 

A participação na talk foi dividida com Jacqueline, Product Manager da Nubank, que  dicas de algumas ferramentas importantes para a definição da estratégia de Produto:

  • User Story Mapping
  • Reality Check
  • Acordos de trabalho (fóruns)
  • Documentação de decisões

Product Market Fit: Como resolvemos um problema real das nossas revendedoras

3 minutos de leitura

A palestra da Bianca, Product Manager no Grupo Boticário, começou com a seguinte provocação: “O erro mais comum que as startups cometem é resolver um problema que ninguém tem.” Paul Graham

O que é Product Market Fit?

Trazendo uma definição do Nick Coster, Bianca comenta que “Product Market Fit acontece quando uma quantidade significativa de pessoas encontrou valor no seu produto ao ponto de trocar por algo.”

De acordo com a palestrante, quando estamos pensando no ciclo de desenvolvimento de Produto, o Product Market Fit olha desde a ideação, protótipo, lançamento, tração, monetização e growth, mas o foco é na tração.

O que é tração?

Tração é a evidência que seu produto/serviço atingiu um ponto de inflexão na curva de adoção, que implica em um mercado grande, um modelo de negócio válido e crescimento sustentável.

Processos recomendados

Para encontrar o Product Market Fit, a Gerente de Produto do Grupo Boticário compartilhou uma dica de processo, que passa pelas seguintes fases:

  • Customer Discovery
  • Customer Validation
  • Customer Criation
  • Customer Building

Esse processo é contínuo e pode ser fragmentado em micro-etapas:

  • Starting Point (identificação de um possível desejo ou problema do usuário)
  • Problem insight (exploração da necessidade do usuário)
  • Problem/Solution Fit (análise da possível resolução do problema)
  • Product interactions (interações em cima da solução)
  • Product Market Fit (validação da solução no mercado) 
  • Growth (escala)

Uma vez que você identificou uma oportunidade, validou hipóteses, testou interesse e provou o valor da sua solução, o fluxo deve ser contínuo para evolução e crescimento do seu produto e negócio.