fbpx

6 minutos de leitura

A cada dia, milhares de novos serviços e itens são colocados no mercado pelas empresas. E, muitas vezes, não se dá a atenção devida ao lançamento dos produtos digitais. Assim, diversos problemas acontecem e isso coloca todo o investimento feito em risco. Basta um único erro para tudo estar perdido.

Pensando nisso, fizemos este artigo para que você conheça quais são os 7 principais erros que geralmente ocorrem no lançamento de um produto digital e, portanto, possa preparar melhor sua empresa e seus processos visando garantir o sucesso.

Por que lançar produtos digitais é tão difícil?

O lançamento de um novo produto é repleto de expectativas e ansiedade. São longos períodos de investimento, muitas horas e recursos dedicados até chegar a hora de colocá-lo à disposição do público-alvo. As pessoas ficam tensas, pois tudo o que foi realizado até então se baseia apenas em projeções e testes. É preciso verificar a real receptividade por parte dos clientes.

E tudo isso tende a se intensificar ainda mais. Uma pesquisa da McKinsey mostra que os ecossistemas digitais podem vir a ser responsáveis por 30% de toda a geração de receitas global. Ou seja, mais e mais lançamentos irão acontecer.

Muitas vezes, os problemas observados não estão exatamente nas características do produto, mas em como foi conduzido o seu lançamento. Os possíveis compradores não sabem de todo o esforço feito até então, eles estão apenas interessados nos benefícios e na percepção de valor que têm sobre aquilo que está surgindo.

Não basta simplesmente anunciar o produto no site ou colocá-lo na prateleira de seus canais de venda esperando que as coisas simplesmente aconteçam. É preciso pensar e implantar estratégias para que as pessoas tenham total noção da diferença que aquele produto pode fazer na vida delas, em como pode atender aos seus desejos ou suprir suas necessidades funcionais.

Quando um lançamento não atinge esse objetivo, o produto fracassa. Esses problemas podem acontecer por fatores externos inesperados, mas, na maioria das vezes, são frutos de avaliações incorretas ou incompletas durante as fases que antecedem o lançamento. E também se relacionam à gestão das eventuais crises que podem acontecer após a divulgação.

Listamos abaixo aqueles que consideramos os 6 maiores erros. Confira!

1. Minimizar a importância das pesquisas e testes

Um produto está fadado ao fracasso se não houver demanda por ele. Isso pode parecer óbvio, mas é um fato frequentemente ignorado pelas empresas. Às vezes, a área de inovação tem ideias supostamente brilhantes e que não tem nenhum valor para o usuário. Ou pode ser que até gerem interesse, mas se tornam inviáveis, pois os custos superam aquilo que as pessoas têm disposição para pagar.

Por isso, é imprescindível investir em pesquisas para dimensionar a proposta de valor, bem como testar com usuários, a fim de monitorar o que os consumidores em potencial acham das características do seu produto e adaptá-lo com agilidade.

2. Definir mal e não entender bem sua persona

Esse é um erro recorrente. Diversas empresas conseguem desenvolver bons produtos digitais, mas não acertam o posicionamento. É preciso ter em mente quais são os elementos demográficos, psicográficos, de interesse, entre outros, e que definem quem serão seus compradores no futuro, para que o produto se ajuste aos seus interesses.

Certifique-se de definir quais são os usuários prováveis desse novo produto, dimensionando o tamanho do mercado e as possibilidades de venda com base em expectativas reais. É muito comum que as empresas superestimem essas questões e se frustrem ao não conseguirem atingir os objetivos.

3. Não respeitar as cerimônias

Primeiramente, é preciso ressaltar que estabelecer um ritual de cerimônias dentro dos períodos de sprints é algo que jamais deve ser negligenciado quando se utiliza uma metodologia ágil de desenvolvimento. Um lançamento dificilmente terá sucesso se a empresa simplesmente lidar com os problemas conforme eles acontecem. O planejamento e alinhamento contínuo são extremamente importantes.

Uma vez que isso for reconhecido, é preciso pensar nos melhores agendamentos e cumprir os prazos para que as etapas subsequentes não sejam prejudicadas em virtude de atrasos. Seja realista ao estabelecer as datas e controle-as constantemente para priorizar a correção de eventuais problemas.

4. Não ter métricas corretas de acompanhamento

Só se gerencia aquilo que se mede. Esse é, com certeza, um dos maiores mantras da administração e se aplica também ao lançamento de produtos. Se você não consegue mensurar corretamente o desempenho de suas iniciativas, há uma forte tendência de que suas decisões sejam baseadas apenas em impressões ou experiências prévias, e não em fatos e dados.

Tudo está realmente funcionando? Há algum problema significativo que precise ser tratado de imediato? Responder e agir em relação às eventuais situações é essencial antes do lançamento. É interessante avaliar pontos como a projeção do CAC (Custo de Aquisição de Clientes), Share, LTV (Ciclo de Vida do Cliente) e os índices de conversão e interesse dos consumidores potenciais e efetivos.

Mas não adianta nada realizar essa etapa e menosprezar seus resultados. Todos os indicadores que desviarem dos patamares de interesse precisam resultar em planos de ação para correção de rota.

5. Não acompanhar o desempenho dos produtos digitais ao longo do lançamento

Dificilmente o lançamento de um produto acontece exatamente como foi planejado. Isso não é completamente ruim, até porque já é esperado. O problema acontece quando você não consegue gerenciar as consequências. Não adianta cumprir o que havia sido estabelecido, lançar e depois se esquecer do produto, esperando que ele, por si só, seja suficientemente bom para garantir o sucesso.

Monitore o desempenho de perto e estabeleça um plano de contingência tão logo seja possível. Esteja preparado para grandes variações de suas previsões iniciais de vendas. E se o produto tiver mais saída do que você planejou? Isso pode parecer bom, mas pode gerar danos graves à imagem da empresa, caso ela não consiga manejar a situação.

6. Conviver com um medo excessivo de falhar

É claro, é preciso se resguardar. Mas acontece que, muitas vezes, as pessoas deixam de executar os lançamentos por receio. Elas acham que o produto ou serviço ainda não está tão bom quanto deveria e, com isso, podem perder o timing para colocá-los no mercado.

Hoje, está cada dia mais difícil guardar segredos empresariais. Se você tem uma ideia boa e ela não é posta em prática, em pouquíssimo tempo um concorrente lança algo similar e conquista o seu público. Além disso, principalmente em empresas iniciantes, é preciso lançar para errar e aprender.

É claro, há sim diversas formas de falhar. Por exemplo, entendendo que o único foco do uso de uma metodologia ágil no processo de lançamento é a rapidez e não o valor que pode proporcionar. Ou quando não se quebra as atividades para conseguir gerenciar questões menores, que permitem inclusive garantir a qualidade ao longo das etapas.

Mas o fracasso é um excelente professor. Espera-se que, na medida em que mais lançamentos vão acontecendo, os membros envolvidos deixem de cometer as mesmas falhas. Mas isso só é possível quando se adquire experiência.

O lançamento de um produto é tão importante quanto o que a empresa desenvolveu. É importante estar atento e se planejar para minimizar as chances de erros e conseguir executar as estratégias de maneira correta, contribuindo para que os objetivos sejam alcançados ou até superados.

Você pode também gostar