4 min de leitura


Resumidamente, a criação de um produto começa na concepção da ideia, que resolve uma dor do usuário, monta-se um roadmap e, em seguida, vem o desenvolvimento do produto. Essa estrutura era feita assim, em cascata, mas com a chegada de frameworks ágeis as coisas passaram a ser feitas simultaneamente. Ao gerenciar squads de tecnologia e produtos digitais, alguns problemas apareciam. Exemplos deles são: as pessoas desenvolvedoras tinham pouco contexto sobre o que foi planejado para o produto, as ferramentas não correspondiam às expectativas dos usuários, os feedbacks demoravam muito para chegar e algumas features colocadas em desenvolvimento eram descartadas. A solução para todos esses problemas é a metodologia de desenvolvimento de produto que falaremos neste texto: Dual Track.

 

Conheça a Metodologia Dual Track

Como o próprio nome já diz, Dual Track significa “faixa dupla”. De um lado, olha-se para o descobrimento de novas oportunidades do produto. Do outro, trabalha-se na entrega, no delivery, de novas funcionalidades. 

Quando se fala de um processo de discovery, descobertas ou primeira faixa, ele está relacionado a coletar feedbacks e métricas. Com isso, mapear novas ideias de funcionalidades e também revisitar, constantemente, quais são os meus objetivos com esse produto. 

Em paralelo, tem-se a segunda faixa, que é a de entrega. Uma vez que se identifica quais são as funcionalidades, parte da equipe estará desenvolvendo o código para, de fato, entregar esse produto. 

 

Vantagens do Dual Track para desenvolvimento de produto

Com o objetivo de te ajudar a tomar decisões mais assertivas em torno da estratégia de inovação da sua empresa, vamos trazer as vantagens da metodologia de construção de produto Dual Track. 

Uma vantagem está relacionada ao fato de conseguirmos ser aderentes aos cenários instáveis. Na prática isso significa errar rápido e aprender rápido com os erros. 

A desvantagem de se criar um ciclo de desenvolvimento muito longo é que os erros demoram muito para acontecer e os acertos mais tempo ainda. No caso do Dual Track, cria-se pequenos ciclos e se torna possível errar rápido, aprender rápido e ficar cada vez mais aderente ao mercado e ao que o usuário, de fato, quer naquele momento.

Além disso, essa metodologia se baseia muito em dados. Quanto antes conseguirmos colocar o nosso produto no ar e acelerar esse processo, mais rápido teremos as métricas que vão balizar a tomada de decisão das próximas ações. Daí, pode-se criar melhorias e estar cada vez mais à frente do mercado diante das necessidades do usuário. 

Por fim, uma grande vantagem do Dual Track é a possibilidade de reduzir a quantidade de riscos, uma vez que são criados protótipos de valor ao cliente para testar a aderência de certas ferramentas. Através desses protótipos, é possível colher feedbacks dos clientes e validar aquela ideia ou backlog de ideias antes que ela chegue até a equipe de entrega, que fará o desenvolvimento do produto. Assim, não há o risco de alguma feature que não foi previamente testada ir ao ar. 

 

O processo do Dual Track

Product Delivery: Desenvolvimento e Entrega do Produto Digital

Como dito no início, o processo resumido de desnvolvimento de produto é composto por uma equipe de delivery com pessoas desenvolvedoras, liderança técnica e scrum master. Essas pessoas são responsáveis por desenvolver features, entregar valor ao cliente, colher feedbacks e colocar a mão na massa novamente, a partir das novas ideias geradas. Esse é o processo mais simples de entrega com percepções do usuário. 

No entanto, embora feedbacks valiosos sejam colhidos, percebeu-se que muitas novas ideias estavam chegando e sendo colocadas em práticas sem estarem devidamente envelopadas e sem a revisão do objetivo do produto. Por isso, algumas delas eram desenvolvidas e descartadas, o que acaba prejudicando a eficiência do projeto: tempo desperdiçado e retrabalho.

 

Product Discovery: Idealização e Direcionamento do Produto Digital

Para evitar com que esses riscos acontecessem, uma equipe de discovery foi criada e a função gerente de produto (PM) se fez necessária justamente para complementar o processo de  validação: compreender se as ideias recebidas resolveriam o problema do usuário. A pessoa gerente de produto recebe os feedbacks, filtra as ideias, revisa objetivos e visão do produto e devolve o que realmente será valioso para a equipe de entrega.

O papel da liderança de tecnologia, tech lead, está na verificação de se a ideia, além de valiosa do ponto de vista do cliente, é também viável para se transformar em uma feature de software. 

Por fim, essa equipe também é formada por uma pessoa designer de produto (Product Designer, PD), cuja função está na criação de protótipos de valor para os clientes. Assim, depois dos feedbacks recebidos e ideias filtradas pelo(a) gerente de produto, a pessoa designer de produto coloca em prática a elaboração dos modelos para garantir se aquela ideia será utilizável e proveitosa na experiência do cliente. 

 

Metodologia Dual Track

Vale lembrar que os dois ciclos de descoberta e entrega acontecem simultaneamente, garantindo agilidade do time, feedbacks rápidos e constantes e sincronia entre as pessoas do squad de produto. Também, reduz-se os riscos de levar para a equipe de entrega uma ideia inválida, inviável e inutilizável e permite que cada pessoa trabalhe com mais produtividade

Para começar a colocar a metodologia Dual Track em prática, é importante pensar em alguns passos. Primeira coisa é preciso fazer uma lista de todas as ideias e feedback que estão no seu backlog e depois validá-las com a liderança de tecnologia e a gerência de produtos, para garantir a viabilidade e aplicação das mesmas. Depois, delegue a criação de protótipos para a pessoa designer de produto, entregue valor para o cliente e recomece esses ciclos. 

 

Conclusão 

É sempre importante levar em conta que a desenvolvimento de um produto, um software, deve colocar o usuário como centro na tomada de decisão. Por esse motivo, a metodologia Dual Track é tão assertiva, ela duplica os frameworks ágeis para que a geração de valor seja contínua no delivery e também no discovery, fazendo com que o cliente seja favorecido constantemente e possa contribuir com feedbacks frequentes ao longo de todo o processo. 

 

Fale com nossos especialistas

Você pode também gostar